Resenha de Lua Sangrenta de Uiara Melo

Sinopse:

 Muitas meninas ainda no século XXI acreditam em príncipes encantados, gentis e adoráveis.  De fato, isso não existe e Tina irá descobrir que o príncipe de seus sonhos é de fato a pessoa mais perversa e repugnante. Portanto, ela não estará sozinha nessa descoberta. Ela contará com o apoio do seu amigo Eduardo, sem perceber. 

   

        O conto possui 54 páginas e é disponibilizado em versão digital.

       Tina é uma jovem adolescente de dezesseis anos que se descobre apaixonada pelo garoto mais popular da escola: Gustavo.

       E essa paixão juvenil contará com uma rival: Kathy.

       Logo no inicio do conto Lua Sangrenta, a jovem protagonista está às voltas com uma novidade: a formatura do ensino médio. Não se falava em outra coisa na escola.

       Então, durante uma visita à biblioteca,  Tina encontra um livro, jogado num canto ,que desperta a sua atenção:”Formatura,lágrimas de sangue”.

      Aqui, eu faço um aparte para comentar:

       A autora Uiara Melo deixa em aberto para o leitor o que realmente motivou a escolha de Tina por aquele livro. Como leitora eu percebi a similaridade da situação vivida pela personagem com  a lembrança da minha própria formatura no segundo grau (hoje ensino médio), cercada pela ansiedade. Esse detalhe faz toda a diferença porque desperta a emoção no leitor-a empatia-, de quem vive ou já viveu situação semelhante: a angústia do momento que antecede esse grande dia.

         É quando então se tona claro as motivações de Tina para a leitura do livro. Ela se sentiu atraída pelo título” Formatura”. Porém, a impetuosa adolescente pareceu ignorar o alerta presente no subtítulo, o que tanto está relacionado com a faixa etária (adolescência) quanto com a personalidade de Tina.

       Voltando à trama:

        Tina resolve levar para casa o estranho exemplar e se entretém de tal forma com a leitura que não vê as horas passarem.

        Os pais dela retornariam naquele dia  de viajem e, a muito custo, ela interrompe a leitura para arrumar a casa numa surpresa para os pais.

           Horas depois, quando procura o livro para retomar a leitura, percebe algo estranho :  não parecia ser o mesmo exemplar que ela pegara na biblioteca. Parecia mais novo.

          Pergunta aos pais se eles compraram outro livro, ou algo assim, mas eles negam.

          No inicio do conto, a personagem trava amizade com o (também) estranho Eduardo.

          A amizade entre eles se intensifica e eles se tornam melhores amigos. Até então Tina era solitária assim como Eduardo, o que foi  um fator a aproximá-los.

          O Livro Formatura, Lágrimas de Sangue conta a história de Cláudia que se envolve com o garoto popular da escola e é abandonada no dia da formatura.

          Curioso com a súbita atenção que o livro passa a despertar em Tina, um dia Eduardo vai até a casa da amiga e pega o livro escondido para ver do que se tratava a história. Afinal, uma coisa que fica subentendida é o ciume que o livro desperta no menino.

          Ao devolver o livro para a jovem ele faz um alerta: a história contida no livro se realiza.

         Tina ignora completamente o que o amigo falou até que coisas estranhas começam a acontecer.                

         O conto Lua Sangrenta de Uiara Melo é uma narrativa híbrida entre o conto propriamente dito- nas partes em que aparece o texto em prosa- e o Roteiro Teatral.

       Essa forma peculiar de narrativa pode causar estranheza em alguns leitores.

       As emoções dos personagens e o cenário onde se desenvolve a trama não aparecem claramente no texto, ao contrário. Isso permite a flexibilidade de ambientação para o diretor da peça, embora a narrativa ofereça algumas marcações que sugiram um cenário urbano, mas com espaço para adição de outros elementos.

      

    “Assim que entrou no ônibus, ela viu dois lugares vagos, sendo um ao lado do Gustavo, e o outro ao lado do estranho Eduardo. Mas o lugar ao lado do Gustavo, logo foi ocupado por Katy. Dessa forma, sobrou então sentar-se ao lado do Eduardo que era um menino muito legal que tinha uma beleza natural, mas tinha também hábitos muito estranhos assim como Tina.

-(som de trânsito ao fundo)”.

 

      Alternando entre prosa e Teatro, o narrador do conto acumula também a função de diretor do mesmo, induzindo o olhar do leitor para certos trechos da trama, convidando-o a interagir com o texto, a tomar partido e colocar até mesmo a deixar a sua marca pessoal sobre a história.

     Esse formato de teatro interativo é relativamente recente.

    Até então, o ator procurava encenar uma peça de forma a permitir uma imersão completa do espectador na trama representada no palco a tal ponto que durante o tempo de encenação o espectador acreditava que ele próprio estava ali, vivenciando o dilema pessoal encenado. Estava assim mantida a ilusão do espetáculo.

     O teatro interativo, porém, segue em outra direção.

     O Propósito é tirar o espectador da passividade e  torná-lo também um ator.

     Assim, cada peça apresentada é única, porque o enredo se altera de acordo com a marca especial impressa por cada espectador/ator que sobe ao palco para apresentá-la.

      Com um mesmo roteiro temos várias interpretações e cada encenação é única.

     No teatro essa forma de atuação é conhecida como Quebra da Quarta Parede. Para quem não está familiarizado com o termo, uma breve explicação:

      O palco possui duas entradas laterais para os atores entrarem em cena, chamadas coxias.As duas entradas constituem,portanto, duas paredes em torno do ator.

      O fundo do palco é a terceira parede e a quarta, a platéia.

       No teatro clássico, a platéia é iludida de forma a acreditar que a peça encenada está de fato acontecendo, sem esboçar nenhum tipo de reação que interfira diretamente na atuação de atores e na trama encenada.

      No teatro moderno, entretanto, a interatividade desfaz essa ilusão, tornando o espectador cúmplice da peça representada. O intuito é gerar a criticidade nos espectadores,quebrando assim a Quarta Parede.

      Uiara Melo teve a ousadia de separar os papéis de protagonista e personagem principal.

     O protagonista da trama é a Tina- é a jovem que executa a ação da trama e cujos acontecimentos vividos por ela geram a evolução da personagem.

     Mas aqui em Lua Sangrenta, o personagem principal é o livro “Formatura, lágrimas de sangue”.

      Toda a trama se desenvolve a partir desse livro e todas as ações acontecem motivadas pela sua presença.

     Por fim, Lua sangrenta – o título deste conto- é a forma popularmente conhecida do evento astronômico: eclipse da lua, que deixa um aspecto avermelhado na mesma, como se ela estivesse sangrando, gerando surpertições e mitos. Ideal para render um estudo em sala de aula sobre o fenômeno original.

      A capa do livro como se fosse uma página rasgada é muito apropriada e um belíssimo trabalho. Gostei muito.

   

       Lua Sangrenta é um conto perfeito para ser encenado numa Esquete – cena teatral  com menos de dez minutos de duração.

      O público ideal para este conto compõe-se de adolescente do ensino médio, especialmente pelo clima de mistério da trama,o sobrenatural, e as emoções que são o ponto chave do enredo e que podem render diversas reflexões entre os adolescentes.

   Numa conversa com a autora sobre este conto, ela disponibilizou um bônus especial muito útil para professores e alunos que queiram encenar essa peça na escola:

 

                                                                                        Bônus Especial

                                                                    Ficha técnica dos personagens:

 

Catarina Améli Styler - Nascida em 1993 exatamente no dia 11 de Junho na cidade de Garibaldi no Rio Grande do Sul.  Menina de pele pálida com textura de seda, estatura mediana de fina silhueta. Olhos medianos, lindos, arredondados com cor de mel. Face delicada com traços finos incluindo os belos lábios contornados delicadamente deixando lhe com um belo sorriso no rosto. Cabelos castanhos escuros pouco abaixo dos ombros, delicadamente ondulados na ponta.

 

Natale Covadonga Styler - Nascida em 1950 em Barletta na região de Puglia na Itália, filha de Italianos.  Veio para o Brasil junto com a sua família em busca de uma nova oportunidade em 1955. Foi criada na cidade de Garibaldi no Rio Grande do Sul onde na adolescência conheceu o seu esposo, Orazio, com quem tem uma filha de 16 anos, Catarina Améli Styler. É uma mulher elegante, educada, bonita de pele clara. Cabelos negros acima dos ombros, olhos castanhos. Especialista em perfumes.

 

Orazio Giancarlo Styler - Nascido em 1949 na cidade de Garibaldi no Rio Grande do Sul, filho de imigrantes Italianos e Espanhóis. Viveu até a sua juventude na mesma cidade onde conheceu a sua esposa Natale em 1990 quando ainda cursava faculdade de Gastronomia. Ele hoje é especialista em Barista o que, o faz viajar pelo mundo atrás do melhor café e Cia. É um homem simples, reservado, boa aparência. Pele clara, cabelos castanhos, olhos negros. Estrutura alta e silhueta saudável. O melhor momento de sua vida foi o nascimento da sua única filha, Catarina Améli Styler.

 

Eduardo Augusto - Nascido em 1991 na cidade de Garibaldi no Rio Grande do Sul. Menino quieto, observador. Há dois anos foi transferido para a escola de ensino médio onde a Tina estudava. Foi nesta época que ele a conheceu, mas, não havia nenhuma possibilidade de uma amizade.

 

Gustavo Cristiano - É um adolescente sem limites e sem expectativas de vida, tudo o que mais gosta de fazer é ficar a toa com os colegas, fingir que “pega” todas as meninas bonitinhas da escola e vive sendo reprovado pelos professores. Apesar disso tudo, ele é um menino bonito, sedutor o qual as meninas suspiram quando passa. 

 

Katy Cristina - Assim como os demais personagens, Katy também é moradora da cidade de Garibaldi tem 17 anos, porém, o seu comportamento deixa a desejar às vezes. Não é uma garota totalmente “burra”, ela só é “burra” quando lhe é conveniente. Seus pais são donos de um médio supermercado a qual a faz ser uma garota bastante popular. E na questão de popularidade ela e Gustavo se dão muito bem, isso porque Gustavo é a sua grande paixão desde o ensino fundamental.  Depois que ela começou a tomar conhecimento da existência da Tina na escola, o seu relacionamento com Gustavo esfriou a deixando muito instável.

 

   Agradeço a autora  por disponibilizar para os leitores, em especial os que estão lendo essa resenha aqui no Blog Café Literatura, por  ter disponibilizado essa ficha técnica dos personagens. Certamente será muito útil! Muito obrigada!

 

 

                                               Michelle Louise Paranhos- autora e critica literária. 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!