Entrevista da autora Michelle Louise Paranhos concedida ao Blog Leiturando

 

            Perguntas para a autora Michelle Louise Paranhos.

     1-       Fale um pouco de Você:

          Antes de qualquer coisa, vou contar a história de meu nome. Ele é realmente Michelle Louise Paranhos, não é um pseudônimo como muitos acreditam. Minha mãe estava estudando francês na época que eu nasci, e sabe-se lá porque, me deu esse nome, Michelle Louise. Ao fazer o meu perfil na rede social, e como as pessoas me chamam mais só como Michelle, então coloquei só o primeiro nome mesmo. Mas, ao publicar meu primeiro livro, resolvi assumir meu nome completo, ou boa parte dele, já que meu nome completo é Michelle Louise Bezerra da Rocha Paranhos.  Enorme, né? (risos)

         Bom, agora vamos falar de mim. Sou casada, tenho 45 anos e três filhos todos adolescentes, já aposentada da educação- eu lecionava para crianças e também sou professora de piano. Agora me dedico à literatura, quer dizer, aos filhos também porque filho é epara sempre. Agora, tenho tempo hábil para me dedicar bastante à literatura, que foi muito importante quando me aposentei, durante a fase de transição, porque eu senti muito ter ficado afastada da sala de aula, e ainda sinto saudade, mas a literatura preenche bem essa lacuna que a Educação deixou em mim.

                 2-      Por que você escreve?

     E se eu tivesse que não tenho ideia? A verdade é que amo contar histórias, qualquer coisa para mim rende uma boa história. Quando eu li, por exemplo, uma receita na internet que reunia a cozinha africana e portuguesa eu me admirei e fui pesquisar a origem do prato Mulato velho e assim surgiu o livro.

     Blog 3k, por exemplo, nasceu quando eu me zanguei por ter saido de um blog, melhor dizendo, fui convidada a me retirar, porque eu era muito velha para ser resenhista e os resenhistas do tal blog tinham abaixo de 20 anos.

      Muitos autores hoje são jovens que escrevem para seus pares, que estão na casa dos 30 anos ou menos, mas ainda se comportam como se tivessem 15. Blog 3k nasceu desse inconformismo, foi uma resposta. Tomei a ideia do recente fenômeno chamado adultescência para escrevê-lo. Gosto da idade que eu tenho e não me sinto “velha”. Autor não tem prazo de validade! Além disso, a maturidade me trouxe um olhar diferenciado, certo humor ácido, e muito dessa critica humorística eu me vali para escrever meu livro Blog 3k, por exemplo, que me permite escrever uma história nas linhas e outra, nas entrelinhas de meus textos, já que sou essencialmente uma escritora de Realismo Contemporâneo.

           Então, voltando à pergunta: escrevo para dizer algo, sempre usando de humor ácido, até mesmo em meus romances com subgêneros dramáticos como Tsara ou Ponto de Ressonância.

                 3- O que foi determinante para que você se tornasse um escritor?

A resposta correta não seria “o que me fez tornar escritora “e sim “quem”. Eu levei muito tempo até acreditar que poderia realmente escrever um livro. Embora eu escrevesse desde muito nova, só quando me aposentei da sala de aula realmente comecei a pensar nisso. E o apoio do meu marido foi fundamental. Ele insistiu para eu publicar meu primeiro livro, Ponto de Ressonância.

                4-    O que motiva você como escritor?

Gosto muito de ver que meus livros estão sendo comentados. Ainda que eu saiba que existe muito de entretenimento na literatura, acredito que nosso tempo é precioso para que a gente o deixe passar – afinal é isso que quer dizer passatempo, não é?- então eu sempre escrevo pensando em transmitir uma mensagem ou usar do enredo para questionar algo. Isso é minha motivação prinicipal.

                5-          Algum autor influenciou você mais do que outros?

           Sim. Em minha adolescência foram três autores que me influenciaram.

           Li muito o autor Hermamm Hesse, a frase de abertura do meu primeiro livro eu coloquei um pensamento dele.

           As poesias de Cecília Meirelles, algumas delas, eu cheguei mesmo a ensinar aos meus alunos, e eu recitava de cor, acredite. Estão em minha memória há mais de vinte anos. Falo do livro dela, “Ou Isto ou Aquilo”.

          E por último e não menos importante, Clarice Lispector. Um dos livros preferidos dela é Cidade Sitiada. Creio que dela eu extraí a paixão pela ambientação. Até hoje sou capaz de ouvir o ranger do assoalho na descrição do cenário daquela trama de Cidade Sitiada.

            6-           Quem são seus escritores favoritos?

          Além dos que citei acima, posso mencionar Erico Veríssimo e seu filho, Luís Fernando Veríssimo. Embora não tenha lido muitos livros dela, Agatha Christie. E um autor muito interessante, que me foi apresntado pelo meu professor de português quando fazia o antigo segundo grau. O nome do autor é Lenonardo Felice Buscaglia. E ele ensina Amor- é isso mesmo, amor- na universidade da Carolina do Norte nos EUA. É serio! Ele se dedica a pesquisar o amor.

            7           Você poderia recomendar três livros aos seus leitores, destacando o que mais gosta em cada um deles.

Clarissa e Solo de Clarineta de Érico Veríssimo e também Comédia da Vida privada, de Luís Fernando Veríssimo. Aliás, quanto a este último, Comédia da Vida privada; o humor dele foi a tônica do humor que tentei emprestar ao meu livro Blog 3k. Eu li aquele livro há muitos anos, antes de ser televisionado num programa humorístico com a Fernanda Torres (Filha da Fernanda Montenegro) como atriz. E reli mais recentemente, agora como escritora, para perceber as conexões de pensamento do autor, o tom que ele empregou. Mas quem conhece ambos percebem que são diametralmente opostos, até porque Blog 3k é um romance e não uma coletânea de crônicas, como o livro do Veríssimo.

           8-        Quais as suas obras?

 Ponto de Ressonância, Mulato Velho, Coisas de Lorena, Tsara- Ir até o fim do mundo e depois voltar, Blog 3k- Trollados pela vida adulta, O sopro do Dragão. Com exceção de O Sopro do Dragão, que é um conto, os outros são todos romances em Realismo Contemporâneo, embora tenham subgêneros diferenciados, como Drama, Realismo Mágico, ficcção histórica dentre outros.

            9-            Conte um pouco sobre cada uma delas.

   Ponto de Ressonância - é a história de duas jovens que recém entraram na faculdade e estão descobrindo como lidar com o mundo adulto. Mas uma delas guarda uma grande segredo, e que as unirá de forma misteriosa e definitiva. A história possui dois pontos de vista e teve um apoio de uma psicóloga na análise critica dela. Abordo a dissociação de personalidade e uma síndrome genética rara durante a trama, e demandou pesquisa médica para ele. Tem uma parte dele autobiográfica, não porque aquilo que aonteceu comigo aconteceu nos personagens, mas especialmente porque eu emprestei a elas, parte de meus sentimentos e de como foi entrar na faculdade na época de 90, quando se passa atrama do livro.

       Mulato velho- Eu escrevi pensando num livro paradidático. A amizade de um menino, filho do barão do café e de Bobo, descendente de escravos e ex- quilombola. A história se passa no seculo 19. As ilustrações foram originalmente pintadas a nanquim pelo meu marido, que é escultor e desenhista.

      Coisas de Lorena- é um relato biográfico. Reuni essas histórias durante quatro anos, e embora tenha sido o terceiro livro a ser lançado, começou a ser escrito três anos antes. É a história de minha filha Lorena, que está no espectro autista. Existe um apêndice ao final do livro com albúm de fotos e cartas de outras mães com o mesmo quadro dela- todoas elas autorizadas. E as ilustrações feitas por ela mesma, Lorena, especialmente para as histórias, todas verídicas, num extenso trabalho jornalístico, por assim dizer.Recebi muito apoio de meus filhos para conseguir reunir as histórias.

            Blog 3k- Trollados pela Vida adulta - A trama fala de três jovens amigos de infância, agora na casa dos 30 anos, se reúnem na esperança de fazer um blog de sucesso e assim saírem do desespero financeiro que se encontram.

 Cleisimir está a ponto de ser despejada, é jornalista frustrada com a profissão, vive de biscos escrevendo para marketing de conteúdo. E recebe em seu apartamento a estudante de psicologia Carla, traída pelo noivo às vesperas do casamento e de Clayton, que sai de casa das suas mães (a mãe Biológica e a mulher dela, que o criou como filho).  Os três cresceram juntos, mas por inúmeras razões a vida os separou e os reuniu outra vez, agora para morarem juntos no apartamento de Cleisimir.

Nesse livro conhecemos a história também das mães deles, que formavam nos anos 70 o “Quarteto Ternurinha”, apelido dado a elas porque imitavam com perfeição a cantora Wanderlea- a ternurinha da Jovem Guarda grupo musical da época. E s tomamos conhecimento tanto delas naquela epoca quanto nos dias atuais, as consequências de suas atitudes quando jovens. É uma comédia dramática com humor ácido e critica social.

          Tsara- ir até o fim do mundo e depois voltar- levou um ano e meio para ficar pronto e exigiu muita pesquisa, porque aborda o tema cigano. Ouvi documentários, pesquisei fatos e referências com ciganos legítimos (que por temerem o preconceito preferiram permanecer não identificados). A história se passa no sul do Brasil, na cidade de Laguna e também no Rio. Trabalhei bastante na ambientação também. Tem um lado espiritualista muito forte nesse livro, romance, e o gênero dele é o realismo Mágico.

             O Sopro do Dragão é um conto. Escrevi para um concurso no wattpad, onde o tema era falar sobre uma música de uma banda famosa, mas que fosse pouco conhecida. Assim, escolhi falar sobre a música ”Metal Contra as Nuvens”, do grupo Legião Urbana.  A música é enorme, com quase 11 minutos de duração e por isso não foi muito tocada na época do lançamento.  A trama de O sopro do Dragão se passa durante o ano novo chinês, o primeiro realizado no RJ, que foi em 2017. Durante o ano do galo de fogo. É Uma história que fala sobre o Rio Atual e também dos mitos chineses. A capa é uma ilustração de uma parte do Ladrilho da cidade imperial chinesa. É um conto em realismo Mágico.

                  10-          Você pretende lançar uma obra ainda esse ano?

Em finalização tenho dois livros: Em Busca de mim (juvenil e em parceria), em fase editorial e de A colheita- Todo homem tem seu preço (adulto, livro solo), em conclusão de escrita. E tenho ainda um infantil participando de um concurso. Dependendo do resultado, irei publicá-lo depois, como independente.

 

                      11             Dedica quanto tempo à escrita por dia?

 Em torno de seis a oito horas, dividias em dois turnos pela manhã e tarde. Raramente escolho a noite e nunca escrevi de madrugada, como muio dos escritores costumam dizer.  Escrevo em horário comercial, por assim dizer, porque os outros momentos eu dedico à minha familia e não ao meu trabalho atual- a escrita. Assim eu foco bastante na escrita como profissão e não um hobby.

                       12            Quanto tempo demora a escrever um livro?

       Isso varia. Blog 3k eu levei pouco mais de um mês. Eu tinha recém- lançado Tsara, que levou um ano e meio para ficar pronto, alternando entre pesquisa e escrita. E eu queria participar do prêmio Kindel de literatura de 2017. Então, eu comecei a escrever e todo dia enviava para a diagramadora um capítulo, ela revisava e fazia a diagramação e me enviava. Enquanto isso eu fazia um novo capítulo e corrigia a diagramação e revisava novamente e retornava para ela. Ao final, revisei o livro todo de novo. O engraçado é que ela comentou sobre a continuidade da história, já que eu tinha não um, mas três protagonistas. Mas eu sabia exatamente onde queria chegar com a história mesmo que minha leitora/ diagramadora não soubesse ainda e foi incrivel observar o espanto dela com as reviravoltas, e ela acabou exercendo um papel como “leitora beta”- o mesmo que uma primeira leitora, para quem não conhece o jargão literário. Eu me sentia uma escritora de novela  das nove (risos), só que os personagens só continuavam existindo na minha cabeça, e não tinham a atuação de atores.

            13             Se estivesse começando agora a carreira de escritor, mudaria alguma coisa?

          Sem dúvida, teria iniciado a carreira mais cedo. Estou com pouco tempo de escrita, mas a maturidade tem seu lado bom e seu lado não tão bom assim. Enxergo as coisas com o olhar da maturidade, e não tenho mais tanta pressa por resultados. Ainda que Blog 3k tenha sido uma experiência divertida, eu prefiro escrever com calma, amadurecendo o pensamento, escolhendo bem o peso de cada palavra e aquilo que quero dizer.

             14            Quais conselhos você tem para jovens escritores?

          Não tenham pressa de publicar. E tenham certeza que aquilo que os leitores lerão é aquilo que você quis passar.

         Na vontade de fazer uma história curta e mais comercial, por assim dizer, muitos esquecem que há diferença entre uma escrita objetiva e a superficial. A objetiva fala em poucas linhas e capítulos aquilo que quer dizer. Já a escrita superficial é aquela que deixa tantas lacunas, que chamamos pontas soltas, que o leitor pode se dizer um coautor da história porque tem que preencher as lacunas com sua propria imaginação.

          Tenha certeza que sua história é antes de tudo, sua história e não a história do leitor.

         Um livro publicado, não importa se de forma impressa ou digital, existe mesmo sem um leitor.  A figura do leitor, porém, só existe se existir primeiro o livro. Mas importante que a opinião de um leitor especifico, que dificilmente lerá seu livro uma outra vez,  está na certeza de que fez a melhor história que poderia ter escrito, e que você, autor, está contente com o resultado. O livro levará seu nome eternamente e é seu nome que ficará lá, como autor daquela obra, e nunca a do leitor. Existe uma grande diferença entre, ouvir as criticas e reavaliar correções, e de despersonalizar tanto a sua narrativa que o leitor perde a sua voz, o seu estilo literário.

         Sempre existirão leitores para um livro, para o seu livro. Mantenha sua integridade como autor, em primeiro lugar, porque a responsabilidade final daquilo que está escrito é e sempre será sua, enquanto autor. Esses são conselhos do que aprendi até aqui, nessa minha trajetória pelo mundo literário. 

                                        

                                                Michelle Louise Paranhos- autora e resenhista.

             Essa entrevista foi concedida inicialmente para o Blog Leiturando, em Soundcloud, como um podcast.

            confira no Link a entrevista na íntegra em audio:   

             https://soundcloud.com/jaegerpri94/leiturando-2

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!