Resenha de Dois Mundos-Aline Camargo

Hoje vamos conhecer a resenha de Dois Mundos-de Aline Camargo.

Livro:Dois Mundos

Autora:Aline camargo

Editora:Infinito editorial (2°edição)

Ano:2016

Sinopse:

Quando Themis completa dezoito anos seu avô lhe conta sobre outro mundo ligado ao nosso por portais e sua delicada relação com nosso mundo. Themis descobre que é uma guardiã de portal e ganha um livro e um medalhão. Alguns anos depois o equilíbrio que liga os dois mundos é quebrado causando muita desordem e caos, estranhamente o medalhão e o livro de Themis são os únicos que ainda funcionam e ela é chamada no outro lado, em Haesd, para ajudar na missão de restaurar o equilíbrio natural. Em companhia de seu companheiro, Eros, e sua pequena guia, Sofia, é encarregada de uma missão quase impossível. Os perigos de atravessar Haesd estão dentro de cada um, nos sentimentos guardados e no que eles podem despertar, nos segredos, nas lembranças e nos medos. Junto com a missão de salvar o mundo cada um carrega sua própria missão. A relação entre os três se fortalece e se mostra cada vez mais única e cheia de mistérios, a ligação que os une é antiga e além da compreensão deles. A razão disso é um segredo que nem todos conhecerão e o final da missão trará a compreensão de Haesd para os três. Será difícil ver o mundo da mesma forma.

Resenha:

No dia do aniversário de 18 anos da jovem,seu avô a chama em seu quarto para  contar-lhe que na verdade ela é uma guardiã,responsável por cuidar do portal entre os mundos:o mundo dos vivos, e o mundo dos mortos:espíritos,seres sobrenaturais e entes superiores e inferiores.Entrega a ela um livro e um medalhão.O Medalhão a identificará como guardiã quando estiver no outro mundo e o livro,durante o dia apenas irá revelar sobre o mundo desconhecido.Porém,após o por do sol e até o fim da madrugada,a abertura do livro trará consigo a abertura de portal entre os mundos,e ela deverá cuidar para que vivos não atravessem esse portal.

Dez anos depois,a jovem prepara-se animadamente para ir ao parque de diversão com seu namorado; apressada,sem perceber acaba por derrubar da estante o livro que lhe fora dado por seu avô e que se abre por encanto.

Ela deseja ir na montanha russa  badalada.Animados, ela e o namorado sentam-se no carrinho da montanha russa e aguardam o inicio do brinquedo.

Quando a composição em que se encontram atinge determinada altura, porém, ela sai dos trilhos em direção a uma luz que surgiu acima da montanha russa, e as pessoas dentro dos vagões observam espantados  aparecer uma ponte com dois guardiões ao final dela.

Seres então procuram atravessar a ponte, enquanto as pessoas, confusas, ficam completamente perdidas, sem saber o que fazer.

É então quando a jovem constata, maravilhada, que a estranha história que seu avô contara há dez anos era mesmo verdade.

Dentre os seres que surgem vindos do outro mundo, surge uma garotinha de apenas onze anos, que,ao observar o medalhão utilizado pela jovem,a identifica como guardiã.

A garotinha então diz para jovem que já a esperava há muito tempo,pois fora ela que entrgara ao seu avô a incumbência de revelar a jovem de sua missão.Seu avô também fora um guardião,um dia.

A garota  entrega à ela um saquinho com um pó,que deverá ser utilizado naqueles seres com vida que  atravessaram o portal e diz que dará um jeito de reabrir novamente o portal,para que eles possam retornar ao mundo dos vivos.

A guardiã prepara um suco com o pó do saquinho e dá ao namorado e aguardam o momento de retornar. A garotinha tem sucesso em seu intento e eles retornam, por fim.

Algum tempo depois, o mundo da jovem está passando por incríveis alterações: os aparelhos eletrônicos não mais funcionam, surgem  tempestades e furacões, profundas alterações climáticas. 

De repente, seu medalhão volta a brilhar intensamente numa cor verde, e o livro que seu avô lhe entregara volta a cair da estante, derrubada pelo vento. Por precaução, ela o deixara amarrado para que não abrisse facilmente.

Contudo, algumas folhas vermelhas  que ela jamais vira antes escorregam de dentro do livro. Ela sente um súbito desejo de registrar seus sentimentos e o que tem acontecido de estranho e começa a escrever nas folhas... Quando, magicamente surge uma palavra na folha: continue.

A  jovem então começa a  contar como está sentindo-se sozinha,e assustada com as mudanças que acontecem em seu mundo.

 E percebe que a pessoa que escreve nas folhas mágicas ,travando o mágico diálogo com ela,é a garotinha- e confirma isso quando a menina diz que há uma espécie de bloqueio impedindo a abertura dos portais.Mas a comunicação entre elas é interrompida bruscamente,por um motivo desconhecido e a jovem guarda as folhas vermelhas dentro do livro,que  brilham e em seguida incorporam-se a ele.

A menina é chamada ao templo e encontra a porta nascendo em meio as portas das crianças que não nasceram, depois acha a própria porta e o guardião vai até ela e conversa com Sofia.
 

E ,novamente,aparece outra porta:

“A porta era mínima, devia ter uns quarenta centímetros de altura. Sentou-se em sua frente para observá-la. Era incrível, interessante, estranha e assustadora. Deveria temer o que sairia de lá? Afinal, era um tanto estranho ver uma porta nascer. De repente, surgiram inscrições no batente, era possível ver a data, a exata hora em que a porta surgira e o nome de um lugar que ela desconhecia. Um pouco assustada e fascinada, tocou de leve nas letras e números e os sentiu quentes. Tocou a porta e a sentiu macia. Pouco depois surgiram outros nomes logo abaixo do nome do lugar e ela ouviu um choro vindo do lado de dentro da porta”.

Esse passagem é uma incrível  analogia para o parto.Foi incrrível perceber outras passagens de igual teor e profundidade.Quando fala que o choro veio de dentro da porta,siginifica que ele não aconteceu.O parto não se concretizou,de fato...porquê?

É assim que a jovem Themis  inicia sua jornada por Haesd- o mundo mágico- e em breve ela não estará sozinha nessa jornada. Ao lado dela estarão seu namorado,  a garotinha especial e o cãozinho.O momento em que a autora escolheu para introduzir os nomes das personagens é interessante.Assim descobrimos -tempos depois de iniciada a trama- que a jovem chama-se Themis,que na mitologia corresponde a deusa da justiça.Seu namorado e companheiro de jornada é Eros-o deus do amor.O cachorrinho de Eros é Awy- e o nome da menina é Sofia.

Aqui a autora brincou com os significados das palavras e fez anagramas para apresentar a complexidade de sua obra.

Awy é um anagrama em inglês para Way,que significa Caminho.Assim,o caminho de Eros é o amor.Enquanto de Themis,é ser a guardiã da justiça e dos oprimidos.

E juntos eles irão percorrer o mundo de Haesd-ou Hades- o submundo,o mundo dos mortos.

É no mundo dos mortos que mora Sofia,a garotinha.Sofia não é uma anagrama,mas nem por isso sua existência é menos significativa.Sofia é aquela que não nasceu: precisa do amor de Eros e da intercessão de Themis para deixar de ser oprimida. .E recebe do guardião do templo de Haesd duas chaves,mas desconhece o que elas abrem,só sabe que elas revelarão a verdade.

Quando finalmente  conseguem mapear o mundo de Haesd ,percebem as Instâncias -semelhante a estados-e que em cada Instância existem cores que a identificam. Quanto mais próximo ao templo, mais claras são as cores.

“- E o que significa o branco?

-Neutro.Nada de extremo de ruim ou de todo bom”.

Nessa passagem a autora nos fala do siginifado do branco: O branco é o equilíbrio-não o bom,observe.0 equilíbrio é o mau e o bem coexistindo juntos,harmonicamente.E quanto mais proximo ao equilibrio,mais clara ficam as coisas...

Quando alguém chega a Haesd ela leva consigo a energia que mais a identificou em vida.

Porém,quando em Haesd  a pessoa aproxima-se numa instância que encontra semelhança com a energia pessoal as suas reações se intensificam fortemente,podendo modificar suas personalidades,até mesmo para sempre..O Templo é o ponto de equilíbrio de Haesd e eles partem em busca do templo para conseguirem retaurar o equilíbrio entre os mundos.Mas o que descobrem durante a jornada é muito mais do que seriam capazes de supor.

A relação do casal com a garotinha e com Awy é a real tônica deste livro complexo.

Embora a linguagem seja simples, a leitura requer muita atenção aos detalhes e todas as mensagens escondidas nas entrelinhas:

“Não importa o que você quer ou não. Os atos ganham vida própria e fogem de nosso controle e as consequências não estão em suas mãos”.

Recomendo o livro especialmente para o público adulto,que poderá entender facilmente as mensagens sutis atrás de analogias tão complexas.Para o público infantojuvenil, o uso de artefatos mágicos e magias permite um olhar mais literal do texto sobrenatural- um olhar igualmente válido e interessante.

Ambos,adultos e jovens,irão se encantar-assim como eu me encantei fortemente -com Dois Mundos de Aline Camargo.

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!